sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Comitê Olímpico Coreano adiciona o eSport à lista de esportes reconhecidos

    O que pareceram boas notícias para a comunidade do eSports causou um retorno negativo de jogadores e fãs da cena competitiva de jogos.

Ontem, a Associação Coreana de eSport (KeSPA) conseguiu garantir a entrada dos eSport como esporte reconhecido pelo Comitê Olímpico Coreano (KOC).

A decisão foi tomada pela bancada de diretores do Conselho de Esportes da Coreia durante uma conferência no Parque Olímpico de Seul no dia 27 de Janeiro desse ano.

Durante a conferência, a KeSPA foi uma das quatro organizações que se afiliaram com a KOC.

Com sua inclusão à organização que já conta com 57 organizações afiliadas, o eSport — através da KeSPA — foi oficialmente adicionado aos esportes reconhecidos pelas Olimpíadas, junto com outras competições como Xadrez, Corrida Automobilística, Polo, e Cheerleading.

O Reconhecimento pela KOC servirá para dar visibilidade da modalidade ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que supervisiona e realiza a inclusão ou exclusão de eventos esportivos nas Olimpíadas.

Por meses, Organizações e proprietários de títulos de eSports populares como a Blizzard e a Riot comentaram publicamente na Coreia do Sul sobre a possibilidade de títulos de videogames e de eSports serem reconhecidos como Esportes Olímpicos. Com o reconhecimento da KeSPA pela KOC, a probabilidade desses títulos serem incluídos durante os Jogos Olímpicos aumentaram.

Ainda assim, fontes na Coreia do Sul reiteraram que a adição do eSport como um esporte reconhecido não quer dizer que jogos como League of Legends, Dota 2 ou de Tiro em Primeira Pessoa serão incluídos nas Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Outros detalhes, como a inclusão de quais títulos de eSport foram considerados, não foram abertos para a mídia.



A rejeição dos Gamers

Nas redes sociais, gamers rejeitaram a possibilidade de ver os videogames nas Olimpíadas, dizendo que competições de eSports não precisam ser transmitidos junto com feitos de destreza física que são a essência das Olimpíadas.

No Reddit, fãs e jogadores de League of Legends lamentaram a decisão da KeSPA, afirmando que a inclusão do eSport nas Olimpíadas é problemática, dada a variedade de títulos atualmente no mercado.

O Usuário daydriem escreveu: “Por que isso está acontecendo? O eSport não é uma disciplina única, como isso funcionaria? Sou a favor de uma Olimpíada Eletrônica à parte, mas adicionar o eSport aos Jogos parece uma tentativa desesperada do COI por mais 'sangue novo'..”

“Eles devem estar infelizes com sua imagem atual. Mas o que contaria como eSports? League? Starcraft? Além disso as Olimpíadas acontecem a cada 4 anos. Alguns jogos nem chegam a ter tanta vida útil!”

Ano passado, o presidente da ESPN John Skipper deu uma declaração parecida quando perguntado se a ESPN iria começar a cobrir eventos de eSports em seu canal. Skipper foi citado, dizendo que “Não é um esporte — é uma competição. Xadrez é uma competição. Dama é uma competição. Meu interesse está em esportes de verdade.”

Em 21 de Julho do ano passado, a ESPN 3 cobriu a performance pré-jogo do The International, o maior campeonato de Dota 2 e detentor do recorde mundial de maior prêmio de uma campeonato de videogame com 10.9 milhões de Dólares.

De acordo com a Valve, mais de 20 milhões de pessoas assistiram o The International 4 através de streaming, televisão e da DotaTV. — de acordo com John Paolo “Brightroar” Bago



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial