domingo, 29 de março de 2015

INTZ confirma boa fase e se garante na final!






Em ascensão meteórica, o INTZ provou neste sábado (28) que não é simplesmente uma equipe revelação. É o time a ser batido no cenário brasileiro de League of Legends. Com atuações consistentes e controle emocional invejável, a equipe liderada pelo AD Carry Micael "micaO" Rodrigues despachou o paiN Gaming por 3 a 0 na Semifinal do 1º Split do Campeonato Brasileiro (CBLoL) e se classificou para a decisão, em Florianópolis.

Com menos de um ano de existência, o INTZ terá a oportunidade de disputar, pela primeira vez, em 18 de abril, um título de expressão nacional, depois de ter passado pela equipe mais tradicional do League of Legends brasileiro.

Primeira partida

Na primeira partida da série, o paiN Gaming escolheu uma composição "protect the carry" com Felipe "brTT" Gonçalves de Kog'Maw. Nos picks e bans, os cyber-atletas do INTZ demonstraram empolgação com as decisões adversárias, dando a entender que esperavam os campeões escolhidos. Sem pensar muito, a equipe revelação do cenário brasileiro montou uma composição de poke e cerco a torres.

O jogo começou movimentado. Surpreendido na própria jungle, o Solo Top Whesley "Leko" Holler teve que usar o flash logo no início e, assim, se complicou na rota. Depois de as equipes derrubarem uma torre e o paiN abater o primeiro dragão, o INTZ ficou com o First Blood com um gank de Gabriel "Revolta" Henud, de Nidalee, no top.

Com o desejo de construir uma vantagem ainda maior, o Jungler do INTZ se excedeu na perseguição a brTT no bot e acabou eliminado, com a kill nas mãos do AD Carry inimigo.

Ainda no mid game, brTT mostrou muito poder, com mais itens do que micaO, e o paiN Gaming derrubou a primeira linha de torres antes do que o INTZ, que tinha uma composição de poke. O paiN lidou muito bem com as investidas adversárias, porque tinha ótimo clear wave com Xerath e Kog'Maw. Foi difícil para o INTZ encontrar espaço para fazer sua composição funcionar.

O jogo se arrastou com constantes embates, depois de muito estudo, como o que aconteceu aos 27 minutos. Os jogadores se encararam por muitos segundos antes de iniciarem a luta, que acabou favorável a Thúlio "sirT" Carlos e companhia. Eles mataram três adversários e passaram a dominar todas as ações da partida.

Aos 36 minutos, o paiN Gaming rotacionou melhor e, depois de atrapalhar o INTZ no barão, destruiu a última torre da mid lane, deixando o inibidor exposto.

O barão era objetivo claro para o INTZ, que tentava, a todo custo, conseguir o buff que aumentaria o potencial de cerco a torres. Porém, a equipe sempre titubeava e perdia muita vida na troca com os aversários. Aos 41 minutos, por exemplo, brTT atrapalhou demais os jogadores do INTZ, que foram obrigados a voltar para a base por conta da invasão dos super minions.

O paiN ficou pertíssimo da vitória ao eliminar Revolta, fazer o dragão e ir para o ataque decisivo à base inimiga. Entretanto, aos 49 minutos, quando o Nexus estava prestes a cair, o INTZ fez um ace e teve tempo suficiente para levar toda a base do paiN, em um final de jogo emocionante, épico e surpreendente.

Segunda partida

Com a moral em alta por conta da vitória na primeira partida, o INTZ começou agressivo o segundo jogo do confronto e, na rota superior, conseguiu o First Blood e mais uma kill, novamente com a presença do Jungler Revolta. No minuto seguinte, a equipe abriu ainda mais vantagem de ouro ao fazer o dragão.

O INTZ continuou ditando o ritmo da partida, mas o paiN tentou não deixar os adversários se distanciarem em objetivos. Aos 15 minutos, a diferença de ouro entre os dois semifinalistas era praticamente inexistente, o que mostra o equilíbrio do duelo.

O INTZ passou a conquistar mais espaço no mapa a partir dos 26 minutos, quando destruiu a primeira linha de torres inimiga, com destaque para a atuação decisiva do Solo Top Felipe "Yang" Zhao, de Maokai. Ele conseguia segurar muito bem os carries adversários.

Mas do outro lado havia um Karthus, nas mãos de Kami. O Mid Laner do paiN teve ótima atuação e, com dano em área e presença global do campeão, desequilibrou algumas teamfights para sua equipe.
Aos 32 minutos, Kami usou suas habilidades para afastar os adversários do dragão, em um posicionamento ideal para garantir mais um buff. Mesmo assim, o INTZ passou pela barreira e lutou, ficando com quatro kills.

Aos 37 minutos, o paiN matou o barão e ainda conseguiu outros quatro abates. O INTZ não se entregou e manteve a calma para retomar a partida. O placar de abates, aos 41 minutos, era de 15 a 15, apesar da ligeira vantagem de 2 mil de ouro de sirT e companhia.

O lance decisivo aconteceu aos 47 minutos, quando Revolta roubou o dragão, que era o quinto buff para o INTZ. Na sequência, a equipe venceu a luta, derrubou o inibidor do mid, fez o barão e partiu para a vitória.

Terceira partida

No terceiro jogo da série, nada de troca de kills e objetivos ou emoção. Foi um massacre do INTZ sobre o paiN Gaming. Um surpreendente massacre. O First Blood saiu aos 6 minutos para Gabriel "tockers" Claumann em cima de Kami. O Mid Laner do paiN Gaming, aliás, estava irreconhecível. Sempre estável, o capitão da equipe tinha duas mortes com 12 minutos de partida. O INTZ, à aquela altura, ostentava o placar de 3 a 0.

Cinco minutos depois, a vantagem de ouro passava de 6 mil e o INTZ marcava 8 a 0 no placar de abates. O paiN não conseguiu responder às ações e rotações dos adversários e só perdeu cada vez mais espaço no mapa. Com 25 minutos, micaO e companhia levaram os inibidores do mid e do bot. Depois, aos 28, haviam destruído nove das 11 torres do paiN.

Sem ter como reagir diante da excelente atuação do INTZ, o paiN acabou derrotado e perdeu a oportunidade de voltar a disputar um título nacional. Já o INTZ comemorou muito a chance de brigar, em Florianópolis, pelo seu primeiro título brasileiro.

 Fonte: MyCNB
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial