quinta-feira, 16 de abril de 2015

Doublelift: Necessidade de mudança


Depois de falhar mais uma vez nos playoffs da LCS norte-americana, o ad carry da CLG Yiliang “Doublelift” Peng teve uma conversa franca com Cameron “Shirokaisen” Gilbert onde falou sobre as dificuldades enfrentadas pela CLG durante a temporada e a evidente necessidade de mudanças na equipe.


Confira a entrevista traduzida abaixo: 




 Esta era para ser a “Era Dourada”. A CLG entrou na temporada, como sempre, voando com as asas da esperança. Com a CLG revigorada em cada posição, tendo o early game mais preciso da LCS norte-americana, os fãs finalmente ousaram ter esperanças de que talvez, apenas talvez, Yiliang “Doublelift” Peng e o resto de seu time ganhariam o troféu que os frusta por anos. Mas as coisas não saíram como o planejado. As fraquezas identificadas no começo da temporada nunca foram embora, e conforme os times melhoraram seus jogos visando as playoffs, a CLG foi novamente deixada para trás. O time terminou no decepcionante 5/6º lugar depois de uma esmagadora derrota por 3-0 nas mãos da Team Liquid do nêmesis das playoffs, Xpecial. Os fãs da CLG estão de volta onde começaram: se perguntando o que falta para que finalmente dê certo.


Eu conversei com o Doublelift durante a LCS no domingo, depois dos jogos, e ele conversou honestamente sobre suas opiniões pessoais quanto a split, a falha da organização Counter Logic Gaming, seus problemas como equipe e para onde vão agora.


Primeiramente, faz uma semana desde os jogos. Como você se sente; qual seu estado mental atualmente?


Ainda me sentindo muito mal. É muito decepcionante, sabe, porque acho que tivemos uma split bem mais ou menos. Uma split regular. Mesmo estando empatados pelo primeiro e segundo lugar o tempo todo, eu não senti como se estivéssemos melhorando muito, e sempre me senti bastante frustrado quanto a esse fato. Quando perdemos as playoffs, eu entendi que não agi rápido o suficiente, ou que houve algum tipo de falha dentro organização. Se tornou rapidamente claro para mim que não estávamos melhorando o suficiente, e novamente, é basicamente eu dedicando — ou todos dedicando — vários meses de trabalho que se vão pelo ralo e não geraram bons resultados. Ainda muito frustrado, e tentando considerar que mudanças preciso fazer, ou que o time precisa fazer.


Você disse que o time não estava melhorando durante a split, mas até pouco antes do final da split vocês estavam no topo dos rankings — muitas pessoas inclusive colocavam vocês no top 2 norte-americano. O que você acha que precisavam ter melhorado internamente que vocês não conseguiram resolver?


Bem, nossa capacidade de derrotar os times do topo da tabela era abissal. Fomos 0-2 contra a TSM, 1-1 com a C9, 0-2 com a TL, 1-1 com a TiP; essa não é uma boa taxa de vitórias. Especialmente terminar 0-2 contra a TSM e TL, é muito muito ruim. Você chega muito forte na temporada, e você é capaz de derrotar todas as equipes de baixo mas nenhuma das de cima, isso é muito frustrante. Porque no fim, você precisa vencer TODOS os times para ser o melhor e ir para o Mundial. Então eu diria que era bastante óbvio para mim nessa hora. Eu estava tipo, “Por que não conseguimos vencer esses times de cima?”. Houve algum tipo de falha com relação a liderança, e mudanças necessárias a serem tomadas, mas apenas não foram feitas rápidas o suficiente. Eu acho que ficamos muito muito alegres, meio que alegres demais, ao derrotar times cuja vitória era esperada. Na minha opinião, isso é como receber parabéns por colocar gasolina no seu carro, ou comer o café da manhã, isso é só normal. Você deveria ser capaz de derrotar facilmente esses times no seu dia-a-dia. Se querem ser uma equipe de topo de tabela, então não deveriam ficar surpresos. Isso devia ser esperado.


Antes do começo dessa temporada, a CLG conversou sobre como eles queriam ter 5 jogadores que se dessem bem uns com os outros e fossem capazes de trabalhar sobre as dificuldades sem começarem a se odiar. Como era a atmosfera da equipe na casa de treinos da CLG quando vocês começaram a ter problemas?


O ambiente era muito bom, na verdade. Eu acho que tivemos sucesso nesse objetivo, em ter 5 jogadores que trabalham bem fora do jogo e são capazes de conversar sobre as diferenças. Ainda assim, não somos melhores-amigos-andando-de-mãos-dadas no dia-a-dia, mas podemos conversar uns com os outros muito tranquilamente, e isso parece ser um ambiente positivo. Acho que outra mudança que teria funcionado, além dessa, seria conseguir um coach. Um coach está lá para se certificar que seus relacionamentos estão indo bem independente de você poder ou não se dar bem inerentemente com os outros. Nós meio que fizemos um esforço dobrado nisso, então atualmente nosso ambiente é muito muito positivo, e estamos apenas tentando animar uns aos outros.




Com esse ambiente tão bom, por que você acha que não foram capazes de corrigir os problemas identificados no decorrer da split?


No fim do dia, melhorar é completamente relativo porque cada jogador no mundo está melhorando. Não importa se você está na recém criada liga japonesa ou na OGN, realmente não importa de onde você vem como pro player: seu trabalho é melhorar, então todos estão sempre melhorando. O que importa é quanto você está melhorando. Você quer acelerar seu aprimoramento. Então sim, eu vi algumas pequenas progressões, mas durante a split as pessoas desde o começo já apontavam que nós tínhamos team fights muito ruins e dependíamos de uma vantagem ganhada no começo de jogo para que não tivéssemos team fights justas quando o jogo estivesse igual ou estivéssemos atrás. Foi esse o problema que persistiu por toda a split e que nunca corrigimos. Eu acho que é muito inaceitável tendo passado por 8 ou 9 semanas, esse é um período de dois meses, e nossa team fight melhorou apenas um pouco. Não apenas isso, mas há muitos problemas — eu não quero ir muito em detalhes quanto a nossas fraquezas como time — mas tivemos muitos deles. Nosso único ponto forte veio realmente do nosso early game, e isso foi só porque nós escolhemos bons jogadores que sabiam jogar bem a lane. Eu não acho que isso devia realmente ser considerado um ponto forte em equipe como “Okay, nós temos bons jogadores, eles sabem como ganhar as lanes, isso é bom pra gente.” Coisas com relação a time que eu acho que deveriam ter sido melhoradas, como trabalhar em equipe, ser capazes de coordenar uma jogada, os shot-calls e a liderança, são coisas que eu acho mais importante e foi onde a CLG teve as maiores dificuldades.


Quem dá os shotcalls durante os jogos?


Link e Aphro dão basicamente todos os shotcalls durante o jogo.


Você acha que dividir os shotcalls poderia ajudar, ou assim ja está bem sólido?


Eu não acho que haja algo inerentemente errado quanto a ter um, possivelmente dois, shotcallers. Eu tenho conversado com muitas pessoas que realmente tem sucesso em seus times em outras regiões e também com os melhores times do mundo como a SKT e a Samsung White, e esses times sempre tem um shotcaller principal e shotcallers suplementares para quando o shotcaller principal está mal ou pipocando, então os shotcallers suplementares podem aparecer e dar suporte ao principal. O problema é que nós temos os mesmos shotcallers por dois anos, e a maneira como os dois interagem é um tanto quanto inconsistente. É por isso que temos tantos problemas de shotcalling e liderança, e sempre fomos tão inconsistentes nas playoffs… tecnicamente nós temos sido bem consistentes nas playoffs, porque nós sempre perdemos. Esse é definitivamente nosso maior problema, a maneira como fundamentalmente funcionamos como uma equipe — a maneira como nós somos — é o grande problema.


Sabendo disso, eu sei que o Hotshot falou no twitter que grandes mudanças estavam a caminho e você disse que estava considerando algumas mudanças. Eu sei que não pode falar nada aqui, mas é possível que haja um roster change na CLG para a summer split?


Eu sei que o que o Hotshot disse é completamente verdadeiro. Eu mesmo não vi o tweet, mas definitivamente haverão grandes mudanças. Não sei se serão roster changes, administração, organização, mudanças no coach ou sei lá o quê, mas é preciso mudar a forma como nós pensamos como pessoas — ou como companheiros de equipe — ou… qualquer coisa. Eu tenho tomado uma função de trabalhar para equipe. Se eles precisam que eu seja um jogador que joga pra equipe, eu posso ser um jogador voltado pra equipe. Se eles querem que eu seja um jogador egoísta, eu posso ser um jogador egoísta. Mas não me dão muita responsabilidade, porque agora isso mudou pra outras pessoas. Eu estou muito bem com isso — não é como se eu fosse faminto por poder e quero liderar ou algo assim. Eu só quero algo que funcione. E o que temos feito por muito tempo simplesmente não funciona.


De um ponto de vista administrativo, qual seria seu ambiente administrativo ideal para a CLG?


Eu diria algo com muita comunicação, fiscalização e muito ciclos de feedback. No momento, não há um loop de feedbacks. É uma via de mão única em que a administração não fiscaliza de fato a equipe de coaching, e os coachs só jogam informações pra gente. Não há um tipo de loop onde as pessoas trocam informações e então todos melhoram. A forma como está sendo feito agora… a razão de nosso crescimento ter estagnado tão rapidamente é apenas que não ha comunicação dentro da companhia. É por isso que digo que a maneira que as coisas estão está provavelmente errada.




Então no dia-a-dia de vocês, vocês falam com o Scarra, ele fala com os líderes e não tem muito retorno de informação a vocês?


Bem, no dia-a-dia nós conversamos uns com os outros como jogadores. Às vezes conversamos com o Scarra e às vezes ele fala conosco, e esse isso é basicamente tudo.


Então o Scarra não toma um papel muito ativo no seus treinos de dia-a-dia como outros coaches fazem?


Sim, eu diria que o Scarra definitivamente toma um papel mais passivo. Ele é muito bom em entender de onde você vem e em absorver informações, mas muito menos autoritário. Ele tem muito poder sobre o time e quando fala pra eu fazer algo, eu vou e faço sem muito questionamento. Mas ele não usa isso com punho de ferro tanto quanto os outros coaches que eu vejo, que ficam literalmente mandando nas pessoas em todo lugar. Então eu acho que tem um meio termo aqui, onde o Scarra tem muita autoridade e tem muito respeito na organização, mas ele tem a mão um pouco leve demais. Ele sempre quer primeiramente garantir que estamos felizes com a forma que as coisas estão correndo, acho que em exagero. Às vezes você precisa fazer coisas com as quais ficará desconfortável ou infeliz, pelo bem de todo mundo.


Seguindo em frente, você tem recebido muitas críticas online quanto a essas coisas. Você é alguém que teve um relacionamento muito aberto com os fãs por muito tempo. Tu já se acostumou nesse ponto, ou isso ainda te atinge?


Eu acho que ter um relacionamento com a comunidade quase nunca é uma via única. Você não pode mergulhar sua mão ali sem sofrer queimaduras às vezes. Eu não sou muito afetado com relação ao meu jogo, mas em termo de estado mental é bem frustrante quando nós perdemos… Eu sou o rosto da CLG, então naturalmente eu serei culpado por muitas ou todas as nossas falhas, e eu não acho que isso é justo, pessoalmente, porque eu sou suspeito pra falar disso e é difícil ser objetivo quanto a essas coisas. Eu só fico realmente frustrando nessa situação, porque eu dedico muito trabalho, sabe? E no final nós não conseguimos fazer dar certo.


Eu acho que no momento boa parte das críticas tem ido para o Link e ao Xmithie, especialmente depois de alguns ults de Sejuani que ele errou e foram repetidos várias e várias vezes. É difícil para os jogadores de um time evitarem colocar a culpa de uma falha em uma única pessoa, e isso afeta o relacionamento depois de uma derrota difícil como essa?


Eu acho que esse conceito tem destaque exagerado. Você não precisa ser um gênio para saber que o Xmithie errou aqueles ults de Sejuani, e ele mesmo sabe que fez isso. Então é como jogar sal na ferida, ele já sabe que fez besteira, e o Link também já sabe quando ele fez besteiras também. Todos sabem, quase sempre, então não é tão ruim quanto as pessoas acham. Você não fala algo terrível como “Você errou todos aqueles ultis de Sejuani, você é horrível.” É mais como “Nós precisamos treinar mais isso, pra que você possa ser mais consistente. Como posso te ajudar a melhorar suas fraquezas?”. É mais construtivo que isso.


No geral, as pessoas estavam surpresas que o Link foi trazido de volta mas ele mostrou pra todos no começo da split que estava jogando muito bem. Mas em mais uma split, ele foi caindo de nível no final. Por que você acha que esse padrão tende a se repetir com o Link e a CLG em geral?


Eu acho que o Link é apenas um produto do ambiente, onde é realmente difícil melhorar. Parte disso é responsabilidade dele, mas muito também é por conta da forma como as coisas são dentro do time. É muito difícil chegar na split ganhando tudo e ainda pensar criticamente o tempo todo sobre seus erros. Às vezes você quer apenas aproveitar o momento. Somos todos culpados por isso, e precisamos essencialmente de um loop de pessoas nos dizendo “Não, ganhar é apenas aceitável, não é algo que vocês deveriam se orgulhar.” Então no fim isso tudo se resume a liderança.


Os fãs da CLG são loucamente apaixonados por esse time. Você tem alguma palavra de encorajamento, algo que queira que esses fãs saibam durante esses meses que antecedem a summer split?
 

Nada que vocês não saberiam diretamente de mim, mas principalmente que haverão muitas mudanças como o Hotshot disse. E se não houvessem muitas mudanças, então eu provavelmente não continuaria na CLG. Porque eu estou dez vezes mais frustrado com as formas como as coisas aconteceram do que nosso maior fã. Não apenas a organização, mas eu pessoalmente: Eu me sinto estagnado. Eu não conquistei nada ou segui adiante por bastante tempo, e isso é provavelmente o mais frustrante na vida — quando você sente como se estivesse no mesmo lugar que estava antes. Eu farei tudo que posso pra resolver isso, e eu começarei a ter uma abordagem mais ativa. Em vez de acreditar que o status quo vai funcionar, que as coisas são da maneira que são e acreditar na administração, eu vou ter abordagens mais agressivas, principalmente falando com o Hotshot e me certificando que todos estão fazendo o que deveriam estar fazendo.


Quanto àquela frustração, você está determinado a continuar jogando no futuro próximo para seguir em busca desse sucesso?


Sim, certamente estou determinado a continuar jogando e permanecer defendendo a CLG. Eu acredito realmente que nasci pra ser um jogador, e eu não me vejo em outro time que não seja a CLG. Há muitas pessoas que me encorajaram a trabalhar pra uma companhia como a Riot ou a ser um streamer, mas isso não é pra mim. Meu destino é ser um jogador profissional.



Fonte (Port.): Zhonyas 



Kisuke

Sobre o autor:


Pseudo-AD Carry, feeder profissional, tradutor da Pwn3ed e babaca nas horas vagas.

Redes Sociais :
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial